O Coach e sua marca pessoal. Como o Marketing pode ajudar?

O Coach e sua marca pessoal. Como o Marketing pode ajudar?

Texto originalmente publicado na Revista Cloud Coaching.

Olá!

Mensalmente, vou trazer lições do marketing e do empreendedorismo digital, temas muito em alta nesses tempos, e que fazem parte da minha carreira há pelo menos 15 anos. Seja bem-vindo a esta coluna, que se propõe a conduzir você a novos conhecimentos de marketing, de forma global, com aprendizados que podem ser aplicados para ter uma trajetória profissional mais consistente. Aqui, você não vai ver fórmulas mágicas. Muito ao contrário, espero dar uma base para que possa gerir uma imagem profissional mais forte.

Sempre acreditei que cada pessoa deve olhar para si mesma como uma marca. Isso inclui pensar no que você vai deixar ao mundo. Nossa postura é muito importante e na vida de um coach, é o cartão de visitas. Sua imagem nada mais é do que o seu instrumento de trabalho, avaliada constantemente pelos futuros clientes. Como você fala, como se veste, a autoridade que você passa… tudo é minuciosamente visto.

“Sua imagem nada mais é do que o seu instrumento de trabalho, avaliada constantemente pelos futuros clientes”

Por isso, sua marca deve ser gerida como uma empresa. É também nesse ponto que entra o marketing. Na base dele está um objetivo claro: facilitar as trocas. Seja troca de tempo por informação e conhecimentos, como um mentoring, seja uma prestação de serviço, uma troca monetária, como no Coaching. E como funciona esse processo? Bem, para escolher seus serviços, o cliente avalia sua imagem e leva em conta os chamados 4Ps: Preço, Praça, Produto e Promoção. Faça o exercício agora mesmo, como se fosse alguém te contratando: avalie se o valor da sua hora é competitivo, se seu raio de atuação está bom, se é preciso ou não ter escritório, se você deve atender em café ou via Skype. Além disso, qual o diferencial do seu serviço? Qual a sua experiência e expertise? Como você promove o que faz?

“Faça o exercício agora mesmo, como se fosse alguém te contratando: avalie se o valor da sua hora é competitivo, se seu raio de atuação está bom, se é preciso ou não ter escritório, se você deve atender em café ou via Skype”

Agora sim, entram na nossa conversa os canais digitais – site, Facebook, Linkedin, Instagram, Youtube estão entre os mais populares. Mas qual deles é mais adequado para você? Antes de entrar mais a fundo nessa área que é apenas uma dentro do marketing, sugiro ter foco, estar ciente de si, se autoconhecer e entender mais sobre objetivos de negócio.

Meu objetivo inicial é te fazer refletir sobre a imagem que você transmite e o perfil dos clientes, para mais à frente entrar em temas que certamente vão fazer a diferença na sua rotina. Quando existe planejamento, foco e disciplina, é mais fácil definir uma estratégia – isso é o que vai te posicionar bem na visão do seu cliente. Nas próximas colunas falaremos mais sobre cada um dos 4Ps e cada uma das plataformas que pode alavancar sua marca. Espero você sempre aqui.

Fernando Souza