Ethereum

de leitura

O Ethereum é o segundo projeto de moeda digital mais valioso do mercado, atrás somente do bitcoin. A plataforma é uma blockchain que tem como principal moeda a ether. E, assim como as demais blockchain, se caracteriza por transações descentralizadas (DeFi) e contratos inteligentes automatizados. Dessa forma, permite o desenvolvimento de aplicativos descentralizados (DApps), games, criação de novas moedas digitais e tokens não fungíveis (NFT).

A criação de novas criptomoedas na plataforma Ethereum é uma de suas diferenças com o bitcoin. Essa possibilidade só existe devido aos contratos inteligentes da plataforma, que permitem que todas as etapas dessa criação aconteçam de forma automatizada. Ainda assim, qualquer transação realizada no Ethereum é paga com ether (ETH), já que essa é a criptomoeda nativa do ecossistema.

ETH vs. ETHW

Em 2022, a plataforma se dividiu e passou a usar dois mecanismos de consenso, que aprovam as transações realizadas. Um deles é o Ethereum PoW (Proof of Work), que segue o sistema antigo de recompensas, no qual cobra uma taxa para a realização de qualquer transação, essa taxa é o gas. É um mecanismo que aprova transações através de resoluções de enigmas criptográficos, processo conhecido como mineração e oferece recompensas aos mineradores. O outro é o ETH, que usa o algoritmo de consenso PoS (Proof of Stake). Neste mecanismo, a mineração é substituída pela validação, no qual o minerados deixa parte de suas moedas travadas na blockchain e recebe por isso. Assim, quem tem mais moedas travadas (sem movimentar), tem mais poder de validação.

Todas as criptomoedas do mercado que não são bitcoins são consideradas Altcoin, ou seja, moedas alternativas. Dentre essas, a ether já é a maior por capitalização do mercado. E tende a ser cada vez mais utilizada em um futuro sistema financeiro descentralizado, lembrando que, hoje, já pode ser utilizada para compra de bens e serviços que aceitam esse tipo de ativo.