Glossário de Marketing Digital

Criptoativos

de leitura

Todo mundo hoje está curioso para saber o que são os criptoativos. Em linhas gerais, eles são moedas virtuais, protegidas por técnicas de criptografia. Todos os dados digitais e operações executadas por esse tipo de moeda são codificados para que se evite qualquer tipo de fraude.

Na prática, estas moedas levam diferentes nomes e disponibilizam várias opções para o mercado, tal como o NFT, por exemplo. A tecnologia que está envolvida na vida financeira destes criptoativos é o blockchain, que é responsável por armazenar todas as informações referentes a essas transações em lotes ou blocos, formando um grande banco de dados descentralizado.

Mas o que isso muda na vida das pessoas? A resposta é simples: tudo. Metaverso, web 3.0 e criptomoedas são novidades que prometem mudar profundamente nossas vidas. Não é à toa que investidores e empresários estão extremamente interessados em investir nas moedas criptografadas.

Assim, aspectos como exclusividade e segurança, garantidos via criptomoeda, são pontos de atenção e que agora movimentam um novo tipo de economia. Num meio onde as tecnologias das informação desenvolvem-se rapidamente, nuvens de dados, conexão e transações digitais, a busca por bens digitais autênticos é crescente.  Daí  também nasce uma demanda de consumo por bens que possam ser únicos e não fungíveis.

No marketing de vendas, por exemplo, não precisamos mais de um espaço físico para vender nossos produtos. Mas  nosso mercado demanda criatividade e precisa atender as necessidades das gerações de consumo atuais.

Desse modo,  os criptoativos representam uma oportunidade para que novos negócios sejam valorizados. O que acontece, portanto, é que, com o espaço virtual compartilhado, um mercado nada tradicional está se desenvolvendo. E é justamente sobre isso que vamos abordar neste texto. Acompanhe para saber mais!

Do tradicional ao virtual: como os criptoativos tornam-se os principais agentes de transformação dos negócios

Ainda não sabemos exatamente como será o metaverso. Porém, o entrelaçamento entre o mundo real e o virtual já é uma certeza. E para que essa economia funcione, novos insumos serão requisitados. Esse é o caso das criptomoedas, que fazem a experiência virtual ampliada funcionar.

Como as experiências da web 3.0 serão imersivas e mais criativas, há um imenso potencial de consumo dentro dessas plataformas. Empresas e grandes marcas do mercado global preparam-se e estudam quais serão as mercadorias que poderão oferecer dentro do metaverso. Todavia, para comprar e vender, dependeremos inevitavelmente dos criptoativos.

Nesse aspecto, mercados nada convencionais começam a dar seus primeiros passos. Afinal, uma indústria de muito potencial financeiro está por trás disso. O metaverso não significa apenas entretenimento. Suas interfaces podem contribuir de forma impressionantemente abrangente, indo desde ambientes de trabalho até escolas, hospitais etc.

Disso, deduz-se que boa parte das atividades e experiências que teremos hoje será mediada por essa nova tecnologia imersiva, que alguns dizem ser a sucessora da internet.

Se hoje podemos dizer que empresas podem nascer diretamente da internet, não podemos ignorar que outras marcas e indústrias se desenvolverão no metaverso, forçando, mais uma vez, um movimento de  readaptação das companhias tradicionais e das velhas formas de fazer negócio.

Nessa nova economia, as criptomoedas são peças-chave que facilitam rápidas e seguras conexões ou trocas de informação. A compra e venda de bens ou serviços continuarão sendo importantes dentro da realidade virtual ampliada. Portanto, a monetização do metaverso passará, inegociavelmente, pela adesão dos ativos financeiros criptografados. Provavelmente, eles serão a base de valorização de todos os trabalhos.

Curso marketing digital - Fernando Souza