Glossário de Marketing Digital

Web 3.0

de leitura

Tecnologia. Inovação. Criatividade: tudo isso tem a ver com a web 3.0. Mas você sabe o que este futuro muito próximo nos reserva em termos de oportunidade e novos negócios?

A experiência de uma realidade virtual ampliada, na qual os usuários interagem e fazem parte do Metaverso está deixando de ser apenas polêmica para tornar-se realidade. Uma evidência disso está nos movimentos das grandes marcas globais, que agora preparam-se para atrair novos públicos e criar nichos de consumo.

Neste texto, comentamos sobre as principais tendências de mercado da atualidade e como as organizações podem estar um passo à frente neste cenário. Acompanhe a leitura para entender quais são as transformações que a web 3.0 está prestes a realizar.

O que é a web 3.0 e quais são os seus diferenciais de mercado?

De um modo geral, desde o boom das empresas “ponto com” e o acelerado desenvolvimento dos modelos de negócio “de plataforma”, a internet passou a ser o principal e mais importante veículo de comunicação. Com isso, a revolução digital impactou todas as atividades sociais e a vida em geral.

Sob esse guarda-chuva, estão incluídos uma diversidade de atividades: salas de aula virtuais; consultas médicas online; marketing digital e sua estratégia de branding; e-commerce; e-books etc. Dentro de cada um desses mercados, toda estratégia de atração de público esconde um propósito ou valor. Isso acontece porque a internet intensificou as conexões entre os consumidores e as marcas. Por sua vez, as empresas se viram diante do desafio de estabelecer uma comunicação que não fosse pautada exclusivamente pelo interesse de venda.

Hoje, muito mais do que vender o produto, vende-se uma experiência, que está ligada a personalidade das marcas e seus diferenciais de mercado. Eles podem ser, por exemplo, ecologicamente corretos, veganos, personalizados, bem como apresentar uma consistente estratégia de relacionamento com clientes.

Dessa forma, engana-se quem acredita que a internet e as relações virtuais significariam o fim da valorização do aspecto humano propriamente dito. Aliás, muito pelo contrário, com a revolução digital, nunca se valorizou tanto a comunicação e o aprimoramento das experiências sociais. E é exatamente neste ponto que devemos prestar atenção.

O desenvolvimento da web 3.0 permitirá que usuários tenham experiências cada vez mais imersivas, rompendo com os limites das barreiras geográficas e das limitações do espectador. Agora, marcas e empresas devem se preparar para, mais uma vez, reinventar seus negócios e atender a exigência desta nova geração de consumidores.

Quem são os novos consumidores?

As pessoas que estão acostumadas a consumir marcas engajadas com as tendências e necessidades do momento sabem que voltar a consumir como antes é algo impossível. Isso  acontece porque a realidade virtual nos abriu um leque de possibilidades e conveniências que dificilmente abriremos mão.

Por outro lado, o universo corporativo também reconhece que os antigos modelos de negócio não se sustentam hoje. Afinal, o digital alterou profundamente as camadas produtivas, desde o controle de estoque, passando pelo armazenamento e chegando até o momento de entrega do produto final.

Todavia, o que acontece no momento é que a web 3.0 adiciona uma camada de complexidade nesta questão, algo que é extremamente benéfico para as marcas. Paradoxalmente, a experiência virtual ampliada fará com que nossas experiências como usuários sejam mais fidedignas e próximas da realidade.

Em outras palavras, a web 3.0 está atrelada ao propósito principal de criar experiências reais para pessoas de verdade. O virtual é apenas um meio para atingir este fim. Contudo, ele é de extrema relevância, já que fornece os insumos para colocar essa atividade em prática. Esse é o caso das moedas virtuais e outros insumos que fazem os metaversos acontecerem.

Portanto, cabe às marcas a função de identificar as oportunidades e encontrar maneiras de capitalizar seus negócios. Abraçar as possibilidades da descentralização e do atual paradigma virtual implica em navegar pela infraestrutura do online sem medo de revolucionar e engajar novos mercados.

 

 

 

Curso marketing digital - Fernando Souza